Entretenimento

Aceite um salário mínimo que não prejudique a economia e leve à contenção em massa


O Ministro da Informação e Orientação Nacional, Mohammed Idris, instou o Partido Trabalhista Organizado a se contentar com um salário mínimo nacional que não prejudique a economia nacional e leve à demissão em massa de trabalhadores.

Idris, que fez o apelo ao declarar aberto o Sínodo da Conferência dos Bispos Carismáticos da Nigéria de 2024, em Abuja, na quarta-feira, enfatizou a necessidade de um sistema salarial realista e sustentável que equilibre as necessidades dos trabalhadores com as realidades económicas do país.

Reconheceu o compromisso do governo em rever o salário mínimo, mas alertou contra exigências que possam prejudicar a economia.

Idris destacou os esforços do governo para reduzir o custo de vida e aumentar o poder de compra dos nigerianos através de programas como a iniciativa presidencial CNG, que visa reduzir os custos de transporte em 50%.

Ele disse: “Como tenho dito repetidamente, o Governo Federal não se opõe ao aumento dos salários dos trabalhadores nigerianos, mas continuamos a defender um sistema salarial realista e sustentável para os trabalhadores – um sistema salarial que não prejudique a economia, levar a demissões em massa de trabalhadores e pôr em risco o bem-estar de cerca de 200 milhões de nigerianos.

“Queremos que os sindicatos compreendam que o alívio que os nigerianos esperam, e que merecem plenamente, não virá apenas na forma de um aumento nos salários.

“Também constituirá um esforço para reduzir o custo de vida e para garantir que mais dinheiro permaneça nos bolsos dos nigerianos. E é aqui que entram programas como a iniciativa presidencial de GNV. Ao substituir ou complementar o uso de gasolina por GNV, esse programa por si só reduzirá os custos de transporte em até 50 por cento.”

O ministro apelou ao clero para apoiar a visão do Presidente Bola Ahmed Tinubu para o renascimento da Nigéria e para rezar por sabedoria e orientação enquanto o país enfrenta os desafios actuais.

“Na verdade, a Igreja, ao longo da história da nossa nação, tem sido um parceiro constante do governo na defesa de causas sociais e na prestação de serviços sociais essenciais, como hospitais e escolas, bem como na inculcação de valores nos nossos cidadãos.

“Mesmo enquanto passamos pelas dificuldades temporárias, mas necessárias, o Presidente não descansa sobre os remos. Ele está determinado a garantir que o maior número possível de medidas de alívio e paliativas sejam implementadas em benefício de todos os segmentos da população nigeriana.

“Agora, é aqui que entram vocês, como clérigos, como líderes religiosos profundamente respeitados e vozes influentes. Como Governo, precisamos do seu apoio, do seu conselho e do seu feedback.

“É muito importante também que vocês estejam cientes dos esforços que estão sendo feitos e dos desafios enfrentados, para que possam nos ajudar a comunicá-los às suas congregações e ao público em geral.”

Observando que o Presidente Tinubu assumiu o poder no momento mais desafiador para a Nigéria, Idris disse que o presidente está a trabalhar assiduamente para garantir o desenvolvimento sustentável em todo o país.

Ele disse: “Não há dúvida de que o Sr. Presidente avançou com um grande senso de coragem e responsabilidade. No último ano, ele tem implementado reformas cruciais e abrangentes destinadas a orientar o nosso país de volta ao caminho do crescimento, da prosperidade e do desenvolvimento sustentável.

“O presidente Tinubu nunca se esquivou de reconhecer a realidade dessas dores. No seu discurso do Dia da Democracia proferido à nação esta manhã, o Presidente Tinubu resumiu muito bem: “As reformas que iniciamos destinam-se a criar uma base melhor e mais forte para o crescimento futuro.

“Não há dúvida de que as reformas causaram dificuldades. No entanto, são reparações necessárias para consertar a economia a longo prazo, para que todos tenham acesso a oportunidades económicas, remuneração justa e compensação pelo seu esforço e trabalho.”

“Na verdade, como nação, estamos a suportar sacrifícios a curto prazo, em prol de benefícios a longo prazo. Inspiramo-nos no panorama geral de uma Nigéria onde ninguém é deixado para trás.”

Ele deu a entender que o seu Ministério colaboraria com os clérigos na implementação do programa de orientação nacional, a Carta dos Valores Nacionais.

Anteriormente, o Presidente Nacional da Conferência Episcopal Carismática, Arcebispo Leonard Bature Kawas, prometeu lealdade e apoio à administração do Presidente Tinubu, sublinhando que continuariam a fazer parceria com o governo para alcançar a sua visão para a Nigéria.

Esclareceu que convidaram o Ministro, que é muçulmano, a declarar aberta a sua conferência, porque vêem nele um nigeriano destribalizado que não guarda diferenças religiosas.



Source link

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo