Esporte

Diogo Costa, o inesperado herói de Portugal num histórico desempate por grandes penalidades


Diogo Costa, o inesperado herói português desta Eurocopa, Nasci na Suíça. Em Rothrist, para ser mais específico. Uma pequena cidade de apenas 7.500 habitantes. Aos sete anos já estava em solo português e agora, aos 24, é o ídolo de todo Portugal. Ele salvou Sesko na prorrogação e par três pênaltis na disputa de pênaltis. Todos os que os eslovenos lançaram, na verdade. Ninguém em um Campeonato Europeu jamais defendeu três pênaltis em uma disputa de pênaltis.

Evidentemente foi eleito MVP do duelo contra a Eslovênia. “Ele teve vários momentos marcantes. Além de fazer três defesas inéditas na disputa de pênaltis, fez uma grande defesa no um contra um contra o Sesko na prorrogação. “Ele mostrou um alto nível de concentração durante todo o jogo, a marca de um goleiro de alto nível em grandes competições”. analisou o Painel de Observadores Técnicos da UEFA.

Mas isso vem de longe. O jovem portista estabeleceu um novo recorde em 2022 ao tornar-se no guarda-redes que mais defendeu penáltis (3) na mesma edição da Liga dos Campeões. É, de facto, o guarda-redes com mais penáltis defendidos na Liga dos Campeões com os 'Dragões'. Quanto tempo vai durar no norte de Portugal é uma incógnita. Ele tem contrato até 2027, mas há anos anseia por ir para um grande clube europeu. Este torneio de seleções é a vitrine que eu precisava.

Ele é uma estrela, vai ser um grande goleiro

Casillas Iker

“Ele é uma estrela, será um grande goleiro”, previu o próprio Iker Casillas no passado. A comissão técnica de Lopetegui detectou seu talento e decidiu trazê-lo para treinar – embora não tenha estreado – na equipe titular. “Ele era muito jovem. Tinha entre 15 e 16 anos. Tínhamos Casillas, mas Julen gostava dele. O clube confiava muito nele”, lembrou Juan Carlos Arvalo, treinador de goleiros do Porto na época, ao MARCA.

LAPRESSE.

Era muito jovem. Eu tinha 15-16 anos. Tínhamos Casillas, mas Julen gostava dele. No clube havia muita fé depositada nele

Juan Carlos Arvalo, antigo treinador de guarda-redes do Porto

“Estes são os jogos mais difíceis porque já faz muito tempo que não toco na bola. Estava concentrado em aproveitar a oportunidade quando ela surgisse. ajudar a equipe e quero dedicar esse jogo a mim mesmo.” família, que é meu apoio. É uma motivação a mais para mim, nunca vou faltar ao trabalho. É verdade, (foi um dos jogos mais felizes da minha carreira) . Eu poderia ajudar mais minha equipe e é nisso que me concentro. O trabalho compensa tudo. É família, trabalho e muita dedicação no dia a dia. Nessa partida segui meu instinto, achei que deveria fazer e graças a Deus. “Estou muito feliz por poder ajudar a equipa, é o que mais importa para mim”, declarou o próprio Diogo Costa no final do jogo.

De minha parte, nunca falto ao trabalho. Eu me mato trabalhando e acreditando em mim mesmo

Diogo Costa

Sobre sua fama de ‘protetor de pênaltis’ (uma certeza, na verdade), Arvalo comenta: “Ele é um especialista, tremendamente calmo. A confiança que tem em si mesmo é surpreendente”. Aos 24 anos, Diogo Costa é chamado a fazer história e a bater recordes altíssimos com a seleção portuguesa. Acumulou 154 jogos oficiais pelo Porto e 26 internacionalizações pela seleção do seu país.





Source link

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo