Entretenimento

Mandato dos presidentes e conselheiros da LG agora há 4 anos – presidente do INEC, Mahmood Yakubu


A Comissão Eleitoral Nacional Independente (INEC) disse na sexta-feira que o mandato dos atuais presidentes e conselheiros dos seis conselhos de área do Território da Capital Federal (FCT) expirará em junho de 2026.

O Presidente do INEC, Prof. Mahmood Yakubu, fez o esclarecimento em Abuja numa reunião da comissão com os líderes do capítulo FCT do Conselho Consultivo Interpartidário (IPAC), liderado pelo Presidente Nacional do conselho, Yusuf Dantalle.

A delegação esteve no INEC com o único propósito de buscar esclarecimentos da comissão sobre o mandato dos atuais dirigentes dos seis conselhos de área, bem como dos 62 conselheiros da FCT.

Ele disse que, com base nas disposições da Lei Eleitoral de 2022 (conforme alterada), os atuais executivos eleitos dos conselhos de área do FCT têm um mandato de quatro anos.

Yakubu disse que o INEC já havia recebido consultas de alguns escritórios de advocacia, de um indivíduo, de um partido político e de um Fórum de Aspirantes à Presidência da FCT sobre o mandato dos conselhos de área da FCT e exigências para que a Comissão divulgasse o calendário para as eleições.

Ele disse que os inquéritos se basearam nas disposições da Lei Eleitoral de 2010 (conforme alterada), que era a lei em vigor na altura em que as eleições para o conselho de área foram realizadas em 12 de Fevereiro de 2022.

“A Lei Eleitoral de 2010 (conforme alterada) prevê um mandato de três anos para presidentes e conselheiros que, na opinião deles, expira em 2025.

“No entanto, os nigerianos estão cientes de que a Assembleia Nacional revogou e repromulgou a Lei Eleitoral de 2010 (conforme alterada) como Lei Eleitoral de 2022.

“Em particular, no exercício dos seus poderes como órgão legislativo do FCT, a Assembleia Nacional estendeu o mandato dos Conselhos de Área de três para quatro anos, alinhando-o assim com as eleições executivas e legislativas em todo o país.

“Esta é uma das disposições importantes da Lei Eleitoral de 2022. A Lei entrou em vigor na sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022, duas semanas após as últimas eleições do Conselho de Área no FCT.

“No momento em que os Presidentes e Conselheiros eleitos tomaram posse, quatro meses depois, em 14 de junho de 2022, eles prestaram juramento de fidelidade e de posse com base na nova Lei eleitoral (ou seja, a Lei Eleitoral de 2022) que prevê um mandato de quatro anos.

“Consequentemente, seu mandato expira em junho de 2026'', disse Yakubu.

O presidente do INEC disse que o mandato não era definido pela data da eleição, mas pela data do juramento de posse para eleições executivas ou pela data de posse para casas legislativas.

Yakubu disse que um dirigente eleito (presidente/vice, governador, senador, vereador, presidente ou vereador) não pode exercer os poderes do cargo e receber as remunerações a ele vinculadas até que tal pessoa seja empossada ou a casa legislativa seja inaugurado.

“A Constituição autoriza o INEC a realizar eleições não antes de 150 dias e não mais de 30 dias antes do final do mandato dos dirigentes em exercício.

“No caso da FCT, o artigo 108.º, n.º 1, da Lei Eleitoral de 2022, ao abrigo do qual os atuais Presidentes e Conselheiros tomaram posse em 14 de junho de 2022, é claro e, portanto, inequívoco:

“(1) Um Conselho de Área será dissolvido no prazo de 4 anos a partir da data –

(a) Quando o Presidente tomou posse; ou (b) quando o braço legislativo do Conselho foi empossado, o que ocorrer primeiro”.

Yakubu acrescentou que existem várias autoridades judiciais; incluindo a decisão do Supremo Tribunal de que o mandato começa a partir da data do juramento de posse e não da data da eleição.

“Os escritórios de advocacia que escreveram ao INEC em nome de seus clientes deveriam ter chamado sua atenção tanto para a lei quanto para os pronunciamentos judiciais sobre o assunto.

“Também poderá querer notar que quando a Lei Eleitoral de 2022 foi sancionada, duas semanas depois de a comissão ter realizado as últimas eleições para conselhos de área na FCT, os titulares em exercício (presidentes e vereadores) desafiaram-nos;

“Que realizamos a eleição muito cedo, alegando que a nova Lei Eleitoral estendeu o mandato de três para quatro anos.

“Lembramos-lhes que prestaram juramento ao abrigo da antiga lei antes da entrada em vigor da nova Lei Eleitoral. Portanto, seu mandato expirará em junho de 2022”, disse Yakubu.

Assegurou ao IPAC que o INEC estava ciente das suas responsabilidades perante a lei, pelo que divulgaria o calendário e calendário de actividades para as eleições no momento apropriado.

Disse que a eleição do conselho de área da FCT conduzida pelo INEC continua a ser um modelo para as eleições autárquicas no país.

Ele prometeu que a INEC continuaria a defender a santidade do mandato e a melhorar a credibilidade dessas eleições.

Yakubu apelou a todas as pessoas com ambição de concorrer aos cargos de presidentes e vereadores da FCT para que se orientem pelas disposições da lei e pelos pronunciamentos judiciais sobre a questão da posse.

Ele também apelou aos partidos políticos para que esclareçam os seus membros em conformidade

Falando anteriormente, Dantalle disse que eles estavam no INEC para a comissão esclarecer o mandato do conselho da área do FCT.

“Houve questões sobre se eles deveriam passar três ou quatro anos no cargo.

“Recordo que na reunião anterior, que a direção nacional dos partidos políticos teve com a comissão, esta questão foi esclarecida.

“Mas sinto que será necessário convidar a assembleia geral do IPAC da FCT para vir comigo à comissão para obter informações em primeira mão sobre o status do mandato dos oficiais eleitos na FCT'', disse Dantalle.



Source link

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo