Esporte

“Quem é Juan Pablo Vargas?”: polêmica sobre a resposta dos jogadores colombianos sobre a Costa Rica


El próximo Sexta-feira, 28 de junho, será disputada a segunda partida da Seleção Colombiana na Copa América 2024 e o rival será a Costa Rica, que empatou em 0 a 0 com o Brasil na estreia. Mas mesmo assim O jogo e os resultados da equipe de Néstor Lorenzo são positivosas declarações de Jhon Jader Durán e Miguel Ángel Borja não agradaram a vários jornalistas colombianos.

Estas foram ouvidas na conferência de imprensa dada pelos jogadores última quarta-feira, 26 de junho, 48 horas antes da partida que pode classificar 'la Tricolor' às quartas de final, mas deixaram claro que não sabiam muito sobre o rival que enfrentavam. E embora possa ser por estratégia ou para suavizar o jogo, não houve uma boa mensagem.

Jhon Jader Durán não sabe muito sobre os jogadores da Costa Rica

Existem muitos meios de comunicação credenciados que prestam atenção à mídia da Seleção Colombiana, portanto, muitas perguntas se repetem e as respostas são semelhantes. Mas Nas falas de Jhon Jader Durán havia a sensação de não saber muito o que os atacantes podem encontrar com a dura defesa do time comandado por Gustavo Alfaro:

Chegará a hora de falarmos do jogo, por enquanto vamos começar a focar, estamos juntos e esperamos que seja um belo jogo… Pelo pouco que vimos, é uma equipe fechada e com mobilidade para fazer bons ataques vai depender de nós…
Não posso dizer, porque não vi muito, mas o pouco que vi é que é um time muito fechado e tem que encontrar formas de entrar.

Claro, Durán quis explicar que não há desprezo pelos rivais com esta resposta: “Não existe rival fraco, ninguém deve ser subestimado, eles têm bons jogadores”Porém, o jovem atacante mais uma vez caiu na mesma resposta de não conhecer o rival quando questionado sobre Juan Pablo Vargas. E Durán enfrentou o costarriquenho antes de ir para o futebol internacional, e também lhe perguntaram se Álvaro Montero, que é companheiro de Álvaro Montero no Millonarios, havia dado informações sobre sua forma de defender.

Pois bem, Jhon Jader Durán disse que não o conhecia e, rindo, devolveu a pergunta ao jornalista da Rádio Caracol:

Quem é Juan Pablo Vargas?… Não, não sei (risos)

Depois daquele momento de desconforto, o atacante do Aston Villa confirmou que não tinha visto muito a Costa Rica: “Pelo que pude perceber é uma equipe fechada e trabalha muito bem na defesa”.

O desafio de Miguel Borja para que a Costa Rica não se defenda da Colômbia

No No caso de Miguel Borja, as suas declarações picantes são comuns e têm ingredientes extras pelos jogos que vai enfrentar, por isso dá tanto o que falar ao River Plate com seus gols e palavras. E desta vez não foi diferente, já que disse não saber muito sobre os centro-americanos e repetiu que espera que eles saiam para jogar mais do que contra o Brasil:

Vimos, não analisamos ainda, mas foi uma Costa Rica que só tentou se defender, enfim, tinha um rival muito forte pela frente e fez com que finalizasse. Esperamos por uma Costa Rica que se proponha um pouco mais nesta partida…
Vi pouco, não tivemos espaço para assistir o jogo inteiro, era uma Costa Rica que sabia se defender, mas tinha um grande rival pela frente. Contra a Colômbia esperamos que eles saiam para jogar um pouco mais e desenvolver mais o seu talento

Nas diferentes respostas que 'el Colibrí' deu aos diferentes meios de comunicação, presentes na área que adaptaram para os jornalistas, repetiu que a Costa Rica deveria sair e jogar com mais atitude: “Espero que ele saia para jogar, acho que a Costa Rica tem grandes jogadores, espero que ele saia para propor o jogo e que não seja parecido com o do Brasil e que ele saia para jogar um pouco mais. temos essa alternativa, se não saírem para jogar handebol na mão, temos jogadores que a qualquer momento inventam uma jogada, podem bater de fora, podem fazer gol e estamos tranquilos quanto a isso”.

Além disso, Borja criticou os campos porque disse que são mais estreitos e favorecem os times defensivos, encerrando com um comentário sobre a temperatura atual nos Estados Unidos: “Nem em Tierralta, à 1 da tarde, me senti tão energizado, mas é bom sentir tudo isso e amanhã fará parte da história que estamos construindo e que, com certeza, chegaremos a uma conclusão com sucesso. ” “.

Jornalistas criticam as respostas de Durán e Borja antes de Colômbia vs. Costa Rica

Logo no momento das declarações, na Rádio Caracol estavam no programa 'La Polemica' e houve reações dos integrantes sobre o que disseram os 2 atacantes, que são alternativas para Lorenzo. O técnico do La Equidad, Alexis García, começou fazendo um comentário que gerou o debate subsequente: “Imagine que há jogadores que não vêem futebol”.

Depois disso, o jornalista Juan Felipe Cadavid falou e pareceu incrédulo com a resposta dos 2 integrantes do 'la Tricolor': “Estamos preocupados porque Borja não viu a Costa Rica e Jhon Jader Durán não sabe quem é Juan Pablo Vargas”. Isso foi completado por César Augusto Londoño com 2 comentários semelhantes: “Esses são os nossos jogadores… Na Colômbia há jogadores que não sabem a escalação do time que vão enfrentar”.

No mesmo painel estava Diego Rueda, também jornalista, que questionou os jovens jogadores: “Como jogador que vai enfrentar um time, tenho que estudar, não esperar que alguém de 30 anos venha me dizer”. Enquanto Cadavid interveio novamente e se lembrou de algo que disse a Jhon Jader Durán: “Durán confrontou Vargas na Colômbia quando ele estava no Envigado. Vargas não é qualquer um”.

Posteriormente, Rueda lembrou que Juan Pablo Vargas não só está no futebol colombiano há vários anos, antes mesmo de Durán deixar o Envigado, mas também lembrou que esteve na Copa do Mundo do Catar 2022 e que marcou um gol contra a Alemanha. Por fim, Alexis García analisou as respostas e deu a sua opinião: “Temos um pouco de ego, o que o rival faz não importa”e César Augusto Londoño sentenciou: “Somos um pouco maiores”.

Pero no fueron los únicos, ya que en el programa digital 'La Liga de La Liga' hubo quejas de Tito Puccetti, periodista de DSports y Win Sports, y Ricardo Henao, periodista de Canal RCN y Win Sports, porque en las atenciones previas a os partidos Enviam jogadores que não são titulares e que são segunda ou terceira alternativas.

Henao observou o seguinte sobre as respostas de Jhon Jader Durán e Miguel Borja: “Borja não está jogando, Durán não está jogando. É extremamente chato que sempre mandem jogadores que não são titulares para as zonas mistas e para as coletivas de imprensa anteriores, é falta de tudo”. E Puccetti, com mais aborrecimento e explicando que a mídia tenta fazer o seu trabalho e com quem paga pela sua cobertura, afirmou: “Mas mandam-nos para conferências de imprensa, dão tapas na imprensa… É uma falta de respeito…”.

Obviamente, só na sexta-feira, 28 de junho, saberemos se foi uma estratégia dos jogadores insinuarem que não sabem muito sobre a Costa Rica ou se foi a estratégia de enviar jogadores substitutos para falar com a imprensa, mas o incômodo permaneceu no ar e no ambiente da Seleção Colombiana nesta Copa América 2024.





Source link

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo